terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Entre pedras e sedas

                                                  ( Coco Chanel e Audrey Tautou)

Acredito no talento nato. Entre pedras e sedas Coco se descobriu. Sempre forte, elegente criativa e determinada com tudo e com os homens. A quem ela amava, morreu cedo. O amor foi rápido e intenso. Fez do trabalho seu esposo e devoção. Só assim sei que é possível desposar a si mesmo, mas em ficar, não há nenhum mal. A Paris das pedras, de tua orfandade, se transforma em seda, em sucesso.

Podias ter sido cantora, a arte te acompanhou por um bom tempo. A moda também é arte. Ela nasceu de tua criatividade, intrepidez. Surgia das cinzas do cigarro, de teus pensamentos, de teus chapéus, do preto e branco da Paris do início do século. Sempre a frente do seu tempo. Vejo A cidade Luz  brilhar, assim como Gabriele( Coco). Coco antes de Chanel, sempre Chanel.

Um comentário:

  1. "Só assim sei que é possível desposar a si mesmo" a frase foi sentencial.

    ResponderExcluir